Categorias
sobre escrita

Visto por dois lados, escrito por doze versos

Se tudo tem dois lados, cada lado com sua versão, seu ponto de vista, sua forma de ser, há certas maneiras de produzir sentidos inversos.

Graças a extraordinária estética de nosso idioma, podemos praticar alguns malabarismos linguísticos.

Então, como seria se, num estalo de reflexos aleatórios, tomarmos alguns dizeres e trocar de lado palavras e verbos, cambiando os sentidos e formando versos, assim digamos, contrapostos?

Sem intenção de fazer trocadilhos, aqui proponho uma dúzia de frases, formuladas em mão dupla, brincando de produzir a mencionada inversão de lados.


Os dois lados

Bem melhor é ter algo a dizer
É ter que dizer algo bem melhor

Como começamos a ver que as coisas
Ver como as coisas que começamos

Para fazer algo de sentido na vida
De algo na vida para fazer sentido

Vai correndo contra o tempo
O tempo vai correndo contra

Tudo que pode acontecer hoje
Hoje acontece tudo que puder

Sonhar para a luta ser vencida
Vencer a luta para quem sonhar

Verso vem e verso vai ao longe
Longe vai o verso, do vai e vem

A semelhança é mera coincidência
É coincidência a mera semelhança

São novos sinais de outros tempos
Velhos tempos dão outros sinais

Saber que a vida é uma breve descoberta
Descoberta ao saber que uma vida é breve

Das coisas que o mundo precisa
O que precisa o mundo das coisas?

Solitário é o viver sem um rumo próprio
Um rumo é solitário sem o próprio viver


Partindo da mesma ótica, individualizando os lados, produzindo nova dúzia de versos.

O primeiro lado

Bem melhor é ter algo a dizer
Como começamos a ver as coisas

Para fazer algo de sentido na vida
O tempo vai correndo contra

Tudo que pode acontecer hoje
Sonhar para a luta ser vencida

Verso vem e verso vai, ao longe
A semelhança é mera coincidência

São novos sinais de outros tempos
Saber que a vida é uma breve decoberta

Das coisas que o mundo precisa?
Solitário é o viver sem um rumo próprio

O segundo lado

Ter que dizer algo bem melhor
Ver como as coisas que começamos

De algo na vida para fazer sentido
O tempo vai correndo contra

Hoje acontece tudo que puder
Vencer a luta para quem sonhar

Longe vai o verso, do vai e vem
É coincidência a mera semelhança

Velhos tempos dão outros sinais
Descoberta ao saber que uma vida é breve

O que precisa o mundo das coisas
Um rumo é solitário sem o próprio viver


Experimente visualizar por dois lados, por quantos versos quiser…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *