Categorias
crônica

Parabéns pra quem?

Na minha adolescência, era moda ter agenda. Às vezes a gente marcava uma data de prova ou outro compromissos, mas ela servia mesmo para escrever sobre aquele dia, colar papel de bala ou adesivo e anotar o dia dos aniversários das pessoas. Eu anotava aniversário até de gente com quem eu mal falava. Parecia algo importante, saber quando alguém fazia aniversário e cumprimentar a pessoa nesse dia, caso a encontrasse.

Com o advento do Facebook, isso passou a ser desnecessário porque ele é o nosso lembrete diário de aniversários. Confesso que acho vergonhoso a gente ter uma rede social que nos avisa quando alguém está de aniversário porque se essa pessoa é realmente importante para você, isso não deveria ser algo que você deveria saber? Tá bom, eu exagero, eu sei. No começo, quando o Facebook era para ter pessoas que você conhecia de fato, parecia estranho, mas agora em um mundo de conhecidos desconhecidos, você deseja feliz aniversário pra todo mundo? Eu me esqueço de parabenizar todo mundo, ou pelo menos todos os conhecidos de verdade, e não acho justo deixar alguém de fora, então eu acabo não cumprimentando ninguém. Além disso, minhas notificações estão todas desativadas, então não fico sabendo da metade dos aniversariantes. Eu até já pensei em escrever no começo do ano um recado no meu mural felicitando todas as pessoas que farão aniversário naquele ano, mas achei que não seria compreendida ou talvez taxada de preguiçosa ou doida.

Agora, temos os grupos de whatsapp, onde, tecnicamente, todos se conhecem. Claro que tem aqueles grupos de pais da escola, por exemplo, mas o que eu vou dizer não acontece lá (eu acho). Acontece que, um dia, no meio do ano, uma pessoa é cumprimentada pelo seu aniversário, sendo que nenhuma outra foi antes. Como assim? Ninguém mais fez aniversário até setembro? Eu acho esses cumprimentos localizados constrangedores. E isso aconteceu em todos os grupos de que já fiz parte. Pode ser neurose minha, mas se você cumprimentar uma pessoa, você se torna eternamente responsável por lembrar de cumprimentar todas as outras. Ou é mesmo neurose minha?

Este poderia ser um dos primeiros acordos a se fazer quando um grupo desses é formado. Primeiro, fazemos uma votação sobre enviar mensagem de felicitações de aniversário ou não. Se as pessoas optarem por cumprimentos, então, alguém fica encarregado de fazer uma lista dos aniversários e mandar uma mensagem no dia certo para que ninguém seja esquecido. Como as profes que têm alunos bem pequenos fazem, colando um cartaz na parede com os aniversários de cada um. No dia, os familiares da criança até levam um bolo e um refri pra sala. Os pequenos cantam parabéns e todo mundo fica feliz e com as mãos melecadas, correndo enlouquecidos por causa do açúcar. Bons tempos.

Tem problemas maiores no mundo? Muitos! Só estou propondo resolver este pequeno detalhe antes de lidarmos com algo maior porque se a gente não consegue se organizar nem nisso, como vai ser pro resto?

2 respostas em “Parabéns pra quem?”

Noblesse oblige hahaha. As convenções sociais são tantas e tão complexas que as vezes é legal e necessário bancar a esfinge 😁😁😇😇

Retiro a notificação de meu aniversário de todas as redes das quais participo, inclusive calendário do trabalho. Espero parabéns só de quem é realmente próximo e espero pelo mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *